E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

domingo, 28 de novembro de 2010

Quem sabe...

Conhecer os nossos limites é extremamente necessário para sobrevivermos e, mais que isso, vivermos. Vivermos bem. Ou ao menos vivermos dia a dia e tocar o barco como se faz indispensável a cada ser humano. Eu descobri que tenho mais limites do que achava que tinha, e com certeza ainda não descobri todos que tenho. A cada limite descoberto, também descobrimos força, uma força que sequer imaginávamos que estava em nós.

Foi assim comigo durante todos os meus vinte anos e sei que continuará sendo até o fim. A experiência mais recente, a mais dolorida pela qual já passei, o término do meu namoro, foi uma grande oportunidade dada por Deus (sim, só pode ter sido Ele!) para eu descobrir que eu tenho forças para continuar tocando o barco sem extravasar um limite que até então eu desconhecia. 

Quer dizer, eu sabia, sempre soube que existia, mas nunca admiti. Afinal, ele nunca seria alcançado, o copo nunca transbordaria, então não havia porque me preocupar com ele. Engano meu. O copo encheu tanto que bastou mais uma gota e ele vazou.

É, o copo ficou muito cheio, tão cheio que transbordou. Cheguei no meu limite. Não só eu, mas creio que o Ju também. Devíamos tirar o excesso de água, mas ao invés disso colocamos ainda mais. Mas não reconheci isso de imediato. Não aceitei isso de imadiato. Quando enfim percebi que o limite estava sendo extravasado, então eu desfaleci, achei que sucumbiria, porque não tinha força suficiente para conter a torrente de tristeza, dor, sofrimento, desilusão e angústia que tomou conta de mim quando percebi que não havia outra maneira, não tinha outro jeito. 

Mas cá estou. Como diz uma música: vi a cruz e a vida em tons reais. Sobrevivi. E, como diz outra música, se um dia a gente se encontrar, quem sabe seja a nossa vez de amar.  E eu amo muito o Ju. Sim, ainda o amo demais. Acredito que Amor como o nosso pode um dia adormecer em nossos corações, mas nunca morrer.

Sim, estou sendo mais forte do que jamais pensei que seria. Acordo todos os dias, grata, muito grata a Deus por estar viva. E, apesar dos momentos de desespero (e há desses momentos, sim, há muitos desses momentos!) eu toco o barco. Ainda consigo remar. E vamos em frente que atrás vem gente!

Sinto muita falta do Ju, mas sei que preciso ser eu apesar dele. Agora, infelizmente, já não há 1 = 2 = eu e você, nós dois vivemos vidas separadas. Mas, se um dia a gente se encontrar, quem sabe...  

3 comentários:

Bel disse...

Oi amiga,finalmente consegui fazer um comentário!kkkk Pois é,sempre te falei que vc tem uma força extraordinária dentro de vc,além da pessoa maravilhosa e tem se demonstrado a cada dia.Deus te colocou na minha vida com algum propósito e, talvez esse próposito seja me fazer um pouco mais feliz.Nos dias que estou triste e confusa,vc com esse jeito todo calmo e também engraçado me faz sentir bem e sorrir!
Te admiro muito pela mulher,amiga,e também uma ótima profisional que é.Ahhh não esquecendo da grande facilidade que vc tem para escrever coisas bonitas que me faz viajar num mundo melhor.Vc tem que escrever um livro e eu quero ser a primeira a ter o teu autógrafo,tá?
Muitos beijos e continue sempre assim,te adoro de montão.

My disse...

Olha, o livro precisa sair, só não sei qdo, rsrs. Obrigada por tudo. Te amo, amiga!

Anônimo disse...

Realmente, vc tem sido mto forte!! Como já te disse várias vezes Deus tem um plano p tudo!! Ele te ajudou a ser forte nesse momente e com certeza fez com que vc amadurecesse mto neste tempo!! Sempre oro por vc e continuarei orando!! e como vc disse: Bola p frente!! Vc tem mtoooo ainda p viver e ser feliz!!!! Bjuuuu amiga, conte sempre comigo!!
Gabi e Davi!! hehe