E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

AnAn 06/2011 - Tradução ~~/ Matsujun fala de amor



片思いは苦い (Amor não correspondido é amargo)
É divertido não ser correspondido mas, eu não fantasio isto.
Esta edição é sobre amor não correspondido, certo? Por que eu? Eu sempre tenho a imagem de um amor não correspondido?

Nota do autor do Airainbow L J : Em itálico, é a AnAn; em letra normal é o Jun.


Com este tipo de piadinha de Matsumoto Jun-san, a atmosfera da sessão de fotos imediatamente ficou mais à vontade. Não, não, ao contrário, nós achamos que existem muitas garotas lá fora que amam você platonicamente. Primeiramente, você poderia nos contar por favor ,sobre a primeira experiência de amor platônico na sua vida?


Minha professora, quando eu estava no jardim de infância costumava me chamar, e somente à mim, pelo primeiro nome “Jun”,  e eu me perguntava o porquê ; isto me fazia sentir borboletas em meu estômago. As pessoas, exceto minha família, nunca me chamavam assim.
Ela me fazia sentar em seu colo e me tratava de forma gentil, eu gostava muito dela.

Um dia, um cartão postal de sua professora chegou ao jovem Matsumoto que já estava na escola primária.
[Eu me casei]. E o nome do marido dela era “Jun”, mas escrito com um kanji diferente do meu. “Ah, então é isso”, minha mente infantil  então entendeu. Por isso que o nome Jun era especial para a minha professora, explicava para mim mesmo.

Foi assim que seu primeiro amor não correspondido terminou.
Então, depois de você crescer e se tornar um adulto…


Eu tive um amor não correspondido por um bom tempo. No entanto, acho que ele nunca foi recíproco. O que eu aprendi com esta experiência é que o que não pode ser feito, não pode ser feito.  Isto não é o mesmo com tudo? Tudo a respeito das relações humanas, não pode ser do jeito como bem queremos.  Dessa forma, parei de pensar muito a respeito disto. O bom do amor platônico é a parte unilateral dele. Nós provavelmente não vemos o lado do parceiro.

Se nós tentarmos ficar juntos com alguém, por um momento, nós temos que aceitar as diferenças entre nosso sentimento e o deles, e eu acho, desta forma, que seria necessário desistir disto, mas no amor não correspondido, isto não acontece.

Eu acho que, no amor não correspondido, incluindo fantasiar nossa relação com outros que amamos, é bom. Entretanto, eu não fantasio isto (risadas).

Se uma garota lhe consulta a respeito do amor não correspondido que possui, que tipo de conselho daria à ela?
Eu a escutaria. Mas depende de cada situação. Além disso, quando uma garota quer conversar, geralmente ela quer alguém que a escute, e que não exija dela uma resposta. Se ela perguntasse “O que você acha?”, eu responderia, “Eu acho isto e isto”, mas eu não poderia oferecê-la conselhos mais sábios.

Bem, se existe uma técnica para fazer um amor não correspondido ser recíproco, se existe mesmo, eu realmente gostaria de saber.

Apesar dele ter ficado um pouco confuso sobre “O que falar” dentro do tema “Amor não correspondido”, Matsumoto Jun-san respondeu as questões , uma a uma, com sinceridade. Até mesmo se nós perguntássemos sobre alguma coisa impossível, ele certamente responderia. Seria muito encorajador se tivéssemos um amigo como ele.

É certo tentar mudar nossos corações, nosso amor, pelos outros.
 Quando amamos muito alguém, até pensamos em nos confessar várias vezes e eles nunca correspondem aos nossos sentimentos, e nós ainda continuamos os amando. Nunca será recíproco, mas nós sempre os amaremos. Se existe alguém nesta situação, eu acho que seria melhor mudar de direção. Claro que se alguém está de boa com isto, não é necessário dizer nada, mas eu acho um desperdício.

Amor é uma questão de sorte. Não importa se nós tentamos ou não dar o nosso melhor, “Se o destino quer que fiquemos juntos, ficaremos se não, não ficaremos”, é a minha opinião.

É uma coisa maravilhosa ser apto a pensar nos outros, e por causa do sentimento de amor platônico, ser este tipo de pessoa. Então, se nós mudamos por causa de um amor não correspondido, eu acho certo devotar nossos sentimentos às pessoas que nos aceitem que cresceram em função desta experiência. Embora este tipo de coisa não seja uma tarefa fácil.

Claro, o amor não pode ser controlado simplesmente pela razão. Como o representante dos garotos,  os quais  possuem muitas garotas apaixonadas platonicamente, qual a sua opinião à respeito do limite do “agradecido” e “chateado” quando uma garota se declara à você?


 Depende da relação, certo? Por exemplo, se nós recebemos e-mails de quem amamos, acho que ficaríamos felizes não nos importando com a quantidade que receberíamos em um dia. Até se nós não soubermos como respondê-los, ficaríamos satisfeitos em lê-los e respondê-los com um “Obrigado”.

Pelo contrário, acho que não me apaixono não importa o quanto esta pessoa se aproxime de mim, se eu não tiver o menor interesse sentimental nela.

Eu não me apaixono à primeira vista, e meus sentimentos não mudam drasticamente tão logo. Apesar de às vezes eu achar a garota “bonitinha”, coisas como “Uau!” não acontecem comigo.

Tenho preferência pela aparência física, mas não me apaixono pela pessoa apenas por causa disto. Eu também não me apaixono por alguém só porque esta pessoa me ama.

Se não tiver sentimento aqui dentro de mim, nada acontece.

Nós não pudemos revelar uma estratégia de amor não correspondido, se você não possui este sentimento. Pelo menos você pode nos contar qual o tipo físico que você gosta?


Hum...qual eu gosto? Gestos femininos, talvez?  Por exemplo, ela colocando as mechas do cabelo para trás das orelhas quando come, algo assim.

O que ela está fazendo agora? O tempo que gastaria pensando ela seria maior.
Se nós virmos no decorrer da entrevista, podemos dizer que Matsumoto Jun é um homem “invencível”. O que aconteceria se ele tivesse um amor não correspondido?
  Eu acho que iria querer saber mais sobre ela e ela iria querer saber mais sobre mim. Também, o tempo que eu gastaria pensando nela seria maior.

Nota do Airainbow L J: Jun usou a palavra 相手(aite) = parceiro, a outra parte. Eu usei “ela” por questões práticas.

O que ela está fazendo agora, etc.  Quando vou ao shopping, às vezes procuro inconscientemente coisas de mulher. Eu amo dar presentes às pessoas, não só à mulheres mas também aos homens. Quando vou ao shopping, penso “Isto ficaria bem nela/nele”, ou lembro “ela/ele disse que queria isto”, e compro. Não importa que seja caro. Nós não precisamos de nenhuma razão para dar presentes à eles, e eu não espero que me retribuam. Eu faço isto porque gosto.

E se uma garota que ama você platonicamente lhe desse presentes?


Eu ficaria feliz com a boa intenção dela, mas ficaria com pena, e me sentir na obrigação de retribuí-la, seria angustiante.

Parece que a estratégia de fazer ele se apaixonar ao lhe dar presentes é também falha. O que se esperava? Que não há nenhuma maneira do amor não correspondido ser recíproco?


Desculpe-me, eu continuo dizendo coisas desagradáveis (risos).

Matsumoto, então, se desculpa. Não, está tudo bem, pois há muitas garotas lá fora que também são deste jeito.


Eu nunca divido as garotas de acordo com o meu tipo, ou talvez você me diga algo como “zona de ataque”? Eu não entendo isto.

Eu já escutei algumas discussões a respeito do amor, e dizem que as mulheres colocaram seus namorados – os ex e os atuais – em linhas verticais, enquanto os homens colocam suas namoradas em linhas horizontais.

Mulheres sempre colocam os namorados atuais no topo, e se elas trocam de namorados, os atuais passam a ocupar o lugar dos antigos, mas os homens colocam as namoradas horizontalmente e comparam as ex com as atuais. Neste caso, talvez eu pense mais como as mulheres.

 Ele é fiel a quem ele ama. Ele não se deixa abrir para qualquer pessoa entrar. Às vezes ele parece estranho por causa do coração direito e honesto.


  Agora nós entendemos o porquê de muitos dramas amorosos estrelados por Matsumoto-san serem persuasivos e, apoiados por muitas mulheres.


Contíguo a isto, nós iremos persistir perguntando sobre o amor não correspondido. Se você tivesse que escolher entre um amor platônico amável ou penoso, qual escolheria?


Acho que o penoso, ou amargo talvez? É diferente em cada caso. Acho que depende se é recíproco ou não, e qual é o tipo de amor platônico que temos. Até mesmo se for correspondido e se pudermos ficar juntos, isso não significa que esse amor é amável também. Pois, muitas coisas virão depois disto. No entanto, acho que o amor não correspondido é absolutamente divertido, mesmo se não for recíproco.

Por exemplo, quando você considera o momento certo para mandar um e-mail pela primeira vez, e fica nervoso com isso, ou quando você pensa que é o momento certo para ligar para aquela pessoa, e deseja saber se é uma pessoa do dia ou da noite, ou quando você está agoniado esperando uma resposta, eu acho que o romance é divertido (risos).

De qualquer forma, quando eu me declaro, faço falando cara-a-cara. E-mails ou ligações são passos iniciais. Eu quero transmitir o que sinto pessoalmente a ela. Pessoas me influenciam facilmente, mas, o que eu posso dizer é....eu gosto de ser erudido (influenciado).

A influência do poder do amor é um pouco forte, eu acho.

Entrevista página 58:

Q: Se a garota que você se declarasse a você, iria retribuí-la na hora? Ou iria esperar?
Eu diria “Eu também” imediatamente.
Acho que ficaria feliz. Muito feliz. Acho iria querer voar. Mas, se fosse possível, eu gostaria de ser aquele que declararia o amor
.
Q: O seu amor não correspondido é recíproco, e vocês estão no seu primeiro encontro. Para onde a levaria?
Se estivéssemos juntos, qualquer lugar seria ótimo.
Eu não tenho um lugar especial. E nem contaria se tivesse. Se minha parceira está feliz, o lugar não importa.

Q: O que você diria para seu amigo que tem um amor platônico se declarou, mas foi rejeitado?
Eu não iria dizer nada e me portaria naturalmente.
Quando alguém está para baixo, eu acho que qualquer palavra de conforto dita não tem significado algum. Se ele falasse, eu diria  “Ah, entendo”, e o escutaria.

Q: Qual música de amor do Arashi conforta garotas com amores não correspondidos?
Depende da sua interpretação.
Todo mundo tem suas próprias interpretações em relação às músicas amor. Eu não quero dar instruções do tipo “É esta!”.
Eu me sentira mal se eu limitasse isto.

Q: Se você produz um filme sobre “Amor não correspondido” , com qual tipo de cena você abriria?
Eu olharia por cima da janela e deixaria meu coração ir até quem eu amo. 
Hã? Eu estaria na cena também? O que eu faria....talvez uma cena próxima a janela olhando para fora distraidamente?
Por exemplo, contemplando através da janela, olhando para o céu e pensando em que eu amo.

-Fim-

Nota da minha tradução: Usei “amor não correspondido”  e “amor platônico” como tradução para “"one-sided love" e "unrequited love"  de acordo com o contexto.
Tradução do Inglês para o Português.
Créditos à: http://airainbow.livejournal.com/914.html

E à Kah, que foi quem procurou o L J para que eu traduzisse.
Chorei quando traduzi esta entrevista do inglês para o português! Jun é realmente muito maduro e muito sensato à respeito do amor. Depois de traduzir (passei algumas horas da madrugada fazendo isto), peguei as fotos que ele saiu na revista e fiquei olhando para ele por um tempo indeterminado e, percebi que me apaixonei ainda mais por ele!

créditos da tradução inglês/português: Thaís Lemos

E depois ainda me parguntam como eu gosto dele. Me diz: e tem como ser diferente? 
^^ 

4 comentários:

Anônimo disse...

Foi uma das entrevistas mais lindas que li, Carol!! Jun e seu lado humando!! Quem nunca passou por isto? Nossa! E o nosso Jun entende as mulheres! Mas que homem incrível, né Carol???
Por isso sou apaixonada por ele! XDD

;* Thatá

My disse...

Ah Thatá, é lindo mesmo né? Sério, eu tbm me apaixonei mais por ele depois q li! Brigada por me deixar postar. Amei!

Tamara disse...

My eu não estou entendendo... Eu já li este post, mas cade meu comentário?
kkkkkkkkk!
Mas eu amei essa reportagem, ele me pareceu tão maduro (aquela sensação de Dejá Vu, tenho certeza que escrevi um comentário sobre essa entrevista...), sempre tem boas respostas e sensatas. Achei que ele foi bem direto e sincero nas respostas e não ficou dando aquela "enrolada" que no final acaba não respondendo a pergunta... bem na maioria delas, em algumas ´´e necessário dar uma resposta diplomática, né... rsrs!!

My Carol disse...

Não sei, hihi. Tem certeza que já tinha comentado, Tami's? Essa entrevista traduzida foi postada originalmente no chikut, talvez vc tenha lido lá.

Nossa, eu tbm amei essa reportagem! O Jun consegue ser tão homem!! E as respostas dele, em geral, foram muito diretas e muito convincentes mesmo, ele entende de mulher, hihi. E aaí ele fala do meu amor por ele: completamente platônico, kkkkk'

Sim, muitas vezes precisamos saber dar as devidas respostas diplomáticas, como manda o figurino~